24 janeiro 2006

Ainda há ruas para a revolta do mundo

Quando me não revolto e, distraído, pergunto
pela memória física da Vida
- em mim, há dessas ruas.
Jorge de Sena - Excerto do poema Longitude

1 comentário:

boss disse...

Gostei do blog
Parabens